A Exploração de Quartzito em São Thomé das Letras

Este ensaio foi realizado em 2015, em uma pedreira de quartzito localizada no município de São Thomé das Letras, no estado brasileiro de Minas Gerais. A mineração é a principal atividade econômica da região, porém tende a ser antagônica ao turismo que é a segunda atividade. A cidade e seu entorno é destino de visitantes do mundo todo, atraídos pela natureza das montanhas, seus picos, grutas e cachoeiras e pela singular arquitetura com ruas, casarões e igrejas feitas de pedras, por escravos, no fim do séc XVIII.

A atividade produtiva de quartzitos apresenta um grande crescimento nos últimos anos, representa cerca de 15 por cento do total de rochas exportadas pelo estado. A pedra de São Thomé, como é conhecida, é utilizada em diversos tipos de revestimentos, como pisos e tampos. Em relação à sustentabilidade desta atividade, uma das principais questões é a geração de resíduos. Como a maioria das mineradoras são de pequeno porte, a falta de tecnologia limita a extração do quartzo, que é explorado apenas próximo à superfície. Desse modo, as jazidas avançam horizontalmente destruindo cada vez mais a mata nativa e modificando o relevo da região. Os rejeitos de pedra são acomodados em pilhas com altura máxima de cinco metros de altura.

Uma das falhas administrativas que afetam diretamente o município é o fato de que muitas mineradoras que atuam em São Thomé das Letras estão registradas nos municípios em seu entorno e não na verdadeira região produtora, isso faz com que os impostos sejam recolhidos pelos municípios vizinhos. O Índice de Desenvolvimento Humano de São Thomé das Letras está abaixo da média do país, de Minas Gerais e da maioria dos municípios vizinhos, sendo a longevidade e a educação os pontos que mais contribuem para seu IDH e o PIB per capita, um dos mais baixos quando comparado ao seu entorno.


 

share